sexta-feira, 24 de junho de 2016

Pequena Miss Sunshine

★★★
Ficha Tecnica
Data de lançamento: 20 de outubro de 2006
Diretor: Jonathan Dayton, Valerie Faris
Música composta por: DeVotchka, Mychael Danna
Roteiro: Michael Arndt
Duração: 1h41m

Olá pessoal! Quanto tempo, como vocês estão? Primeiro tenho uma notícia para dar a vocês, que pode não ser muito boa. Então vou comunicar logo. Na quinta-feira da semana que vem, eu irei viajar para minha cidade natal, e como lá é interior e eu quero aproveitar bastante tempo com os meus priminhos, avós e tios, eu não terei tempo para escrever algum post no blog, e por esse mesmo motivo eu tenho me ausentado tanto nesse último mês. São tantos preparativos e tantas coisas para resolver, que fica difícil arrumar tempo para organizar as coisas.
Mas prometo que assim que eu chegar, tragarei muitas novidades!
Okay, agora vou parar de tagarelar sobre minha vida e falar sobre o que interessa. Filmes! Já que estou nessa vibe de viagem, um filme que está me dando uma saudade apertada é "Pequena Miss Sunshine", simplesmente porque praticamente o filme inteiro eles passam dentro de uma kombi amarela, e isso dá aquela sensação gostosa de viagem. Ah e outro tema, que está frequente na minha vida e nesse filme, família.
Diante de uma situação familiar pouco estável, com cada membro da família com suas peculiares diferenças e problemas, surge a notícia que Olive (Abigail Breslin) foi classificada no concurso "A Pequena Miss Sunshine" na Califórnia. Sai então toda a família: O avô paterno de Olive (Alan Arkin), que ensaia todos os dias a neta para o concurso e que foi expulso de uma casa de repouso pelo uso de drogas; o pai Richard (Greg Kinnear) que vende um programa de auto-ajuda para quem quer ser um vencedor, apesar de não obter muito êxito com isso; a mãe típica (Toni Collette), que valoriza a honestidade, mas que de contrapartida é uma fumante compulsiva que desmente tal hábito; o tio Frank (Steve Carell), irmão da mãe de Olive, gay que acaba de tentar um suicídio (por isso é recomendado ficar com a família); e o irmão mais velho Dwayne (Paul Dano), o típico jovem roqueiro, filosófico e revoltado, que obcecado em ser piloto da Força Aérea, faz um "voto de silêncio" até conseguir sê-lo. Todos juntos precisam levar a pequena Olive, sonhadora e desengonçada, com o único meio de locomoção que pode levar toda a família, uma Kombi amarela bastante usada. Na viagem de três dias entre o Novo México e a Califórnia, eles passam por diversos momentos de alegria, tristeza e descobertas.
O filme que ganhou dois Oscar no ano seguinte, um de melhor roteiro e outro de melhor ator coadjuvante (por Alan Arkin, que interpretou um dos melhores personagens do filme), conquistou de coração de muitas pessoas, inclusive o meu, e é aclamadissimo pelos críticos, tendo 91% de aprovação. Simples, doce e divertido, o filme é o retrato de uma família que tem tudo para dar errado, mas que mesmo com todas as dificuldades sempre apoiaram uns aos outros. Além disso crítica os padrões de beleza que a sociedade cria e a forma como eles querem "amadurecer" as crianças, e também sobre orientação sexual, depressão, a ambição de ser sempre vencedor, o melhor... Acho que eu já comentei aqui no blog o quanto acho impecável a atuação da Abigail, álias, cadê essa garota?! Desde pequena sempre foi muito carismática e talentosa, e isso é visto em quase todos os seus filmes. Steven Carrel como sempre, maravilhoso. Não tenho muito o que dizer além disso, acho que todos os atores foram excelentes, souberam desempenhar o papel perfeitamente e tocar o telespectador de uma forma absurda, enquanto eu assistia me senti parte daquela família, parte dos personagens. Realmente te pega de surpresa e faz questionar sobre certas coisas que acontecem em nossas vidas e entrar em uma discussão particular, como é a forma certa de explicar a uma criança certas coisas, como morte, homossexualidade, depressão, o amor, e se realmente existe esse certo existe. São questões muito delicadas, porém muito interessantes. Acho Jonathan Dayton e Valerie Faris dois grandes gênios, tudo que eles fazem são bem feito e de certa forma fica na sua cabeça para sempre. A forma como eles souberam equilibrar o drama e a comédia, saiu de forma tão natural e leve. Lindissímo! De algum jeito me faz lembrar da minha infância, quando eu tinha apenas 9 anos, 10 anos e tudo que eu queria era crescer e entender o mundo dos adultos. Hoje percebo que a criança guarda algo puro dentro de si, uma bondade inexplicável. Olive mostra isso na maneira mais bela de todas. 


Dwayne:  Quer saber? Que se dane os concursos de beleza. A vida não passa de um concurso de beleza depois do outro. Sabe, a escola, depois faculdade, depois trabalho, que se dane. E que se dane a academia de força aérea, se eu quiser voar, arranjo outro jeito de voar. É, você faz o que ama, e que se dane o resto.
Frank: Que bom que voltou a falar. Você não é tão burro quanto parece.
(Pequena Miss Sunshine) 

domingo, 12 de junho de 2016

Especial - Dia dos Namorados

Olá pessoal! Como vocês estão? Como todos nós sabemos hoje é dia dos namorados no Brasil, o mais estranho disso tudo é que na verdade é dia de São João, o santo casamenteiro (apesar de eu não ser muito ligada nessas coisas de legião e tudo mais). Sendo que na verdade o "símbolo" do dia dos namorados seria São Valetim, o motivo certo eu não sei, mas sabe-se que fora o Brasil, este dia só é comemorado no dia 14 de fevereiro, enquanto aqui é 12 de junho. Mas como sou brasileira, e não renegou minhas raízes como muitos outros por aí, comemoro hoje. 
Bom, nunca dei muita importância para o dia dos namorados, apesar de que esse ano é o único em toda a minha vida, que eu comemoro, lembro me que quando eu tinha 13 anos comemorei com meus amigos em um shopping, e passamos o dia no fliperama e comendo pizza. Foi bem legal! Mas como eu não faço a menor ideia de como esse dia será, eu resolvi não pensar muito nisso e fazer um post (e este video) especial para todos os apaixonados por filmes, e claro, por romance!

sábado, 11 de junho de 2016

Eu Sou O Numero 4

★★★
Ficha Tecnica
Data de lançamento: 15 de abril de 2011 (EUA)
Diretor: D.J. Caruso
Música composta por: Trevor Rabin
Roteiro: Alfred Gough, Miles Millar, Marti Noxon
Duração: 2hrs

Adaptação da obra homonima de Pittacus Love, o filme gira em torno da vida do adolescente John Smith (Alex Pettyfer), que na verdade não mais é que um alienígena disfarçado entre os humano, ex-habitante do planeta Lorien, que foi destruído pelos mogadorianos, seres que agora estão na Terra atrás dos nove escolhidos - jovens herdeiros de poderes especiais que, quando reunidos, poderão derrotar os seus inimigos e salvar seu novo lar, a Terra. Os três primeiros foram mortos, John é o número quatro, dando origem ao nome do filme. John se muda para a tranquila cidade de Paradise, em Ohio, após causar tumulto em uma praia na Flórida onde vivia, é ajudado por seu protetor Henri (Timothy Olyphant), enquanto descobre seus novos poderes, Smith conhece a estudante Sarah Hart (Dianna Agron) e se apaixona por ela, colocando em risco a vida de ambos e o futuro de sua raça, porque o inimigo já o localizou. A sua sorte é que a número Seis (Teresa Palmer) também o encontrou e ela pode ajudar na batalha.
Já faz bastante tempo que este filme esteve na minha listinha de filmes para assistir, e sempre vinha e voltava, mas só neste ano, que finalmente decidi assistir, e também por meu namorado falar tanto dele, acabamos assistindo. Não foi tão ruim quanto eu esperava, e não tão bom assim, para falar a verdade achei bem mediano. Algumas atuações não foram ruins como a do ator Alex Pettyfer que me fez questionar mais uma vez sobre a sua atuação, pois sempre achei que ele fosse mais um desses atores teens meia boca como Taylor Lautner e etc... que só tem um  corpinho e rostinho bonito a oferecer e mais nada, mas creio que me enganei um pouco, talvez eu mude de ideia depois, mas neste filme achei a sua atuação muito boa, assim como do ator Callan McAullife no papel de Sam, já Diana Agron me decepcionou um pouco, talvez por causa de sua personagem extremamente irritante, fazendo o papel da típica donzela indefesa, além de tirar fotos de tudo, tudo mesmo! O tempo todo! Acredito que seja isso, pois sempre achei a atuação dela em Glee impecável. Mais o ponto alto nisso tudo, foi a química perfeita entre ela e o Alex, que logo engataram um romance na vida real. Bom, eu nunca li o livro, e para falar a verdade, nem pretendo, então não posso dizer se adaptação correspondeu a expectativas dos leitores ou não, se realmente foi fiel, mas já vi alguns comentários, a maioria disseram que sim, mas mesmo assim ainda houve reclamações de uma coisa ou outra. Alguns não gostaram da escolha dos atores. A fotografia de Guillermo Navarro (do filme O Labirinto do Fauno) ficou realmente muito boa, e achei que D. J. Caruso tinha muito mais para mostrar, acredito que se o filme tivesse ficado nas mãos de Michael Bay (que produziu o filme) como diretor, teria sido bem pior, pois o diretor tem costume de fazer filmes com enredos (e comentários) bastante machistas, apesar de eu adorar Pearl Harbor, e por causa do terceiro filme dos Transformers, não pode dirigir (Graças a Deus!).
As cenas de ação são muitos boas, principalmente as do final do filme, e os efeitos especiais não foram tão ruins assim, acho que quem conseguiu mais se destacar durante o filme todo foi a Número 6 interpretada por Teresa Palmer. Mas, Eu Sou O Número 4 não se mostrou muito diferente dos filmes adaptados de livros daquela época, mesmo não tendo aquela pegada Crepúsculo, é muito fácil se comparar com outros filmes teens que foram lançados como Percy Jackson, Eragon e A Bússola de Ouro, e por muitos motivos acabou aumentando as chances da história ter continuidade, algo muito arriscado, o que pode causar uma sensação de vazio, já que são poucos que conseguem conquistar o público, principalmente baseados em livros onde há várias sequências. É bem provável que haja uma continuação, mas até agora não foi afirmado, nem mesmo se todos os atores estarão presentes nesta. O final foge bastante dos clichês, e dá um ar de curiosidade aos telespectadores. Indico as pessoas curtem esse gênero de superheroi teen.

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Tag: O Que Andei Assistindo

Olá pessoal! Como vocês estão? Espero que estejam todos bem. Neste ano, eu não tenho assistido muitos filmes, talvez por pura preguiça ou desanimo, ou os dois, cinema então... Nem se fale! Mas irei falar um pouco para vocês sobre alguns que assisti ultimamente. Como sempre faço, eu espero que vocês gostem!

A Escolha Perfeita
★★
Fui meio bipolar com esse filme, por motivos que nem eu mesma entendo, mas a vontade sempre vinha e passava de uma forma meio absurda, até que um certo dia, eu estava com meu namorado procurando algum filme para assistir na televisão, e resolvemos assistir a este, e para minha surpresa, acabei gostando, é claro o filme tem algumas coisas que me incomodaram, mas muitas coisas boas me fizeram dar três estrelinhas e meia para este, cujo conta a história de uma estudante rebelde chamada Beca (vivido por Anna Kedrick, que quase faz a gente esquecer da sua atuação quase inútil em Crepúsculo) que está infeliz por ter sido obrigada a estudar na faculdade em que seu pai é professor, mas ao chegar lá ela descobre sua voz e acaba participando do grupo The Barden Bellas, formado apenas por garotas, liderado por Aubrey Posen (Anna Camp) que tenta a todo custo todos os anos vencer o Campeonato Regional de Música, mas sempre acabam perdendo para os The Treblemakers, grupo só de garotos, pertencentes a mesma faculdade. Agora com uma reforma nas Bellas e com a ajuda de Beca, o grupo procura chances para vencer os Regionais com um toque de ousadia e muito talento. Algumas cenas do filme são bem esquisitas como a do dueta entre Beca e Chloe (Brittany Snow) em um banheiro e até meio superficiais, outras divertidissímas como as da Rebel Wilson, como a hilária Amy Gorda, o filme tem um toque de sacarsmo e se torna um música original por tratar de um musical onde a amizade torna-se o tema vivenciado, fugindo dos musicais românticos (não que eu não goste). Os covers ficaram maravilhosos, todas as atrizes e atores do filme são muito talentosos e souberam cantar com perfeição.

Pocahontas
★★★★
"You think I'm an ignorant savage and you've been so many places, I guess it must be so but still I cannot see, if the savage one is me how can there be so much that you don't know? You don't know..." Se você sabe de qual trecho é essa música, parabéns, você teve infância. No meu caso, eu não tive! Porque só nesse que eu consegui assistir Pocahontas, e pra falar a verdade me apaixonei, tão poético, tão simples... tão lindo! Um navio parte da Inglaterra com o objetivo de encontrar o "novo mundo", tendo a bordo o governador Ratcliff (David Ogden Stiers), que está ansioso em encontrar ouro, e o capitão John Smith (Mel Gibson). Ao chegarem, John decide explorar o mundo desconhecido. Logo encontra Pocahontas (Irene Bedard), uma bela índia por quem se apaixona. Só que o povo índio e os ingleses logo entram em guerra, já que estão em disputa pelas terras da América.

Moulin Rouge
★★★★
A história se passa em 1899 e gira em torno de um jovem poeta, Christian (Ewan McGregor, maravilhoso!), que desafia a autoridade do pai ao se mudar para Montmartre, em Paris, considerado um lugar amoral, boêmio e onde todos são viciados em absinto. Lá, ele é acolhido por Toulouse-Lautrec (John Leguizamo) e seus amigos, cujas vidas são centradas em Moulin Rouge, um salão de dança, um clube noturno e um bordel (mas cheio de glamour) de sexo, drogas, eletricidade e - o que é ainda mais chocante - de cancan. É então que Christian se apaixona pela mais bela cortesã do Moulin Rouge, Satine (Nicole Kidman). Um musical apaixonante, cheio de coreográfias bem interpretadas, atuações maravilhosas, e muito glamour, é quase impossível você assistir e não ficar com uma música grudada na cabeça, "Your Song" do Elton John ficou perfeita na voz do Ewan que provou que além de ser lindo e Jedi, sabe cantar, e muito bem! A química entre ele e Nicole Kidman (que estava fabulosa no papel da talentosa, Santine. Alias o tempo foi bem doloroso com a Nicole, pois ela realmente não está tão bonita e tão talentosa como costumava ser) é perfeita, as trocas de olhares fazem nos questionar se aquilo tudo é só atuação ou é real. A cena do tango de "Roxanne" é muito forte, os cenários, as cores, a fotografia tudo ficou muito lindo e mágico, todo inspirado nos grandes teatros. Alias indico a todos que pretendem fazer!

A Vida é Bela
★★★★
Há pessoas que dizem que a vida é bela, eu digo que este filme é belo (e muito triste), me pergunto porque demorei tanto tempo a assistir, além de contar uma época importante e dolorosa para o mundo, o enredo também tem uma história linda. Durante a Segunda Guerra Mundial na Itália, o judeu Guido (Roberto Benigni) e seu filho Giosué (Giorgio Cantarini) são levados para um campo de concentração nazista. Afastado da mulher, ele tem que usar sua imaginação para fazer o menino acreditar que estão participando de uma grande brincadeira, com o intuito de protegê-lo do terror e da violência que os cercam. O filme foi dirigido e estrelado por Benigni. Ri e chorei muito com esse filme, as atuações são impecáveis e o garotinho que interpreta Giosué é uma gracinha, além do pequeno romance no início do filme que também é bem marcante. Não é a toa que venceu três categorias do Oscar de 1999.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Veja o Video Que Compara o Trailer da Animação com Live Action de "A Bela e a Fera"

Já imaginaram Emma Watson vivendo a francesa Bella da animação da Disney, "A Bela e a Fera"? Se não, pode começar a imaginar porque na semana passada o teaser do filme foi divulgado e deixou todo mundo maluco, e mais ansioso para a estreia do filme, que apesar de longe, promete boas lágrimas e olhos brilhantes, e sorrisos sinceros. 

Se você assim como eu, ficou nostálgica e amou tudo, você com certeza vai pirar mais ainda com este video que um fã fez comparando as cenas dos filmes. Vem conferir e se apaixonar!


E não é que a Emma serve direitinho para fazer a Bella, as duas são francesas, são lindas, inteligentes, amam livros e tem um coração enorme. Apesar de tudo, o filme só estreia no Brasil em 16 de março de 2017.

sábado, 21 de maio de 2016

Notícias: Novas Imagens do Filme "Como Eu Era Antes de Você" Foram Divulgadas

Se tem uma coisa que está deixando todo mundo maluco nesse ano, são as estreias no cinema, é cada uma melhor que a outra, mas com os preços dos ingressos aumentando cada vez mais fica muito difícil de assistir a todas, mas uma que está sendo mais aguardada, principalmente pelas leitoras de plantão, é o filme "Como Eu Era Antes de Você", que tem no elenco os atores Sam Claflin (e suas covinhas e sorriso maravilhoso) e Emilia Clarke.
Algumas imagens novas foram divulgadas para nos deixar mais ansiosos, venham conferir!